quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Golpe baixo - a vulnerabilidade das mulheres ante uma antiga paixão

Ao contrário da maioria das mães que não apoiam suas filhas com seus respectivos namorados,  minha - além de não fazê-lo, tem o dom de plantar sementinhas do mal em mim.

Hum... sei não se esse seu namorado argentino te ama tanto assim. Amor a gente percebe nas pequenas coisas. Veja sua viagem ao Brasil por exemplo, homem que ama não deixa sua namorada viajar sozinha... 



Tento explicar que meu namorado estuda Veterinária, curso muito difícil e que demanda muito estudo e que eu entendo quando ele não pode me acompanhar. carrera fácil. Por eso, no siempre puede acompañarme. 

Rapaz bom moço não deixa sua namorada viajar so-zi-nha, principalmente se ele sabe que ela tem fobia de aviões...


Sua desconfiança sobre minhas decisões não está relacionada apenas aos temas sentimentais. Ela acha que foi uma péssima escolha o fato de ter estudado Comunicação Social - que para ela, é curso para comunista, homossexual, vagabundo e maconheiro. Claro, o fato de morar em Buenos Aires faz parte das minhas rebeldias bizarras. 

Só você mesmo para morar em um lugar onde seu salário vale a metade aqui no Brasil.



Não demorou muito  para que sua nova preocupação estivesse enfocada na minha solteirice. Para ela, é um tremendo absurdo estar chegar aos 30 anos sem uma aliança de casamento, morar com o namorado que não trabalha e só estuda. Então, todas as vezes que viajo para visitá-la, espero sem resultado um sentimento de piedade para comigo. Prova do que digo foi a última reuniãozinha que fizemos na casa dela com os meus amigos, pouco antes de retornar à Argentina. Como fazia um tempão que não nos víamoss, saltaram diversos assuntos, incluindo o casamento de fulana ou beltrano. "A Mariana teve uma menina", " o Matias já comprou o apartamento dele e se casa no próximo ano".
Como se esperasse o melhor momento para anunciar uma notícia bomba, minha mãe com a xícara de chá na mão falou claro e pausadamente:


Meninos, a Michele não voltará para a Argentina.



Como assim manhê? Que história é essa?



 A revelação me deixou atorduada. Mal podia pensar, tamanho era os gritos dos meus amigos de "viva!" 


Você não vai voltar porque tenho um ótimo pretexto para você ficar. 



Manhê, posso saber que pretexto é esse?



Silêncio. 
A danada conseguiu a atenção das 12 pessoas que sustentavam suas tacinhas de chá nas mãos. 


O motivo se chama Marcelo. Marcelo Henrique Júnior.


Flash back...Marcelo Henrique foi o primeiro grande amor sério que tive aos 18 anos. Na verdade, era um baita de amor platônico que durou 3 anos e que nunca deu em nada. Primero porque ele nunca se interessou por mim e segundo, graças à implicância da minha mãe que considerava o rapaz um vagabundo e mal elemento (por ter cabelos longos).



Mãe! Oque você está inventando desta vez? O Marcelo está nos Estados Unidos!



 Estava. Semana passada encontrei com a mãe dele no MSN e trocamos telefone. Depois ele pessoalmente me telefonou, perguntando quando você viria ao Brasil, porque ele queria te ver. Olha que estive olhando o Orkut dele e te digo que está bem lindão. Está alto, forte, estiloso e cortou aquele cabelo. Filha, ele é piloto da TAM! E ficou super entusiasmado quando falei que você gostava dele...


Ficou? Jura? Ai ai ai, escutaram meninas, lindão, forte, alto, lindão, é piloto! Nossa, lembro de como ele era lindo. Agora então...O que mais ele disse? O que ele falou quando contou que eu gostava dele? Conta manhê, não enrola!


Minhas amigas, que conheciam a odisseia "Marcelo Henrique" sabiam que o golpe baixo da minha mãe surtiria efeito. Poxa, estive 3 anos interessada no cara! Enquanto nos perguntávamos que roupa usaria no grande encontro, meu irmão grita "Miiiiiiiiii, Luis no telefone".                     

Alguns segundos de silêncio e o plano da minha mãezinha foi por água abaixo.


Mãezinha, você sabe que eu te amo, né?!

4 comentários:

  1. Pelo menos ela tentou (e nota mental minha, nunca avisar a minha sobre que eu quero e muito menos deixar ela acessar orkut)...

    Fique com Deus, menina Michele Mitsue.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  2. naaaaaaaaaa, me cague de risa!
    fantasticas las fotitos y las caras de locura!!!
    cuanta razon sobre la mitad del salario, no se deje llevar por la fantasia.

    ResponderExcluir
  3. Que bom que foram por água abaixo.
    Nem todo mundo é obrigado a entender decisões que tomamos em nossas vidas e por mais bizarras que elas pareçam, para nós faz sentido.
    Torço pelo coração.
    Então..que bom que no final ficou tudo certinho.

    ResponderExcluir
  4. Fazia tempo que eu não passava por aqui!
    Ri muito com essa história... aff... os amores platônicos! Nós e nossos amores platônicos... Mas eu descobri que hoje nenhum neles me convenceria a fazer qq coisa! rs rs
    Quem conhece a sua mãe não a imagina assim! ahahah
    Beijos

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails